Aprenda como investir no tesouro direto

O Tesouro Direto é um tipo de aplicação segura que pode aumentar as suas receitas.

como-investir-tesouro-direto

O Tesouro Direto é um tipo de investimento de ótimo custo-benefício. Por tanto, esse tipo de aplicação vem se tornando cada vez mais popular. Enquanto empreendedor, é imprescindível possuir receitas de segurança que possam ajudar na manutenção ou fomento de seus negócios. Aprenda como investir no Tesouro Direto e aumente a sua receita.

O que é Tesouro Direto?

O governo federal emite títulos públicos no objetivo de obter receita suficiente para os investimentos na saúde, educação e infraestrutura. É a Secretaria do Tesouro Nacional que se encarrega da emissão de tais títulos.

Ao adquirir esses títulos, o investidor aplica receita diretamente no Tesouro Nacional, fomentando a economia e o desenvolvimento nacional.

Benefícios do Tesouro Direto

Por se tratar de um investimento aplicado ao Tesouro Nacional, e por ele assegurado, as aplicações nesse regime são consideradas as mais seguras do mercado.

Para facilitar investimentos desse tipo, o governo federal disponibiliza investimentos a partir de R$30, o que os torna acessíveis em todas as esferas sociais.

Além de acessíveis, as aplicações são facilmente adquiridas. Elas podem ser efetuadas online, através do site do Tesouro Nacional, seu Agente de Custódia ou off-line, realizada diretamente pela instituição financeira escolhida.

Contudo, vale dizer que a própria segurança do investimento faz dele uma aplicação cujos rentabilidade não é alta. Seu custo-benefício, entretanto, ainda se mostra vantajoso.

Como investir no Tesouro Direto

O Tesouro Nacional preparou um vídeo explicativo que ensina os passos iniciais para o investimento. Confira o vídeo abaixo:

Passo a passo para investir no Tesouro Direto

1. Ter CPF e Conta Corrente ativos: É necessário possuir CPF ativo e conta corrente em uma instituição financeira.

2. Tenha um Agente de Custódia: É necessário um intermediário entre o investidor e o Tesouro Nacional. Assim, é preciso contratar o serviço de um banco ou corretora, também nomeados Agente de Custódia.

Confira a Relação oficial de instituições habilitadas, disponibilizada pelo Tesouro Nacional, para escolher o agente de custódia de sua preferência.

3. Cadastro na Instituição Financeira: Cadastre diante da instituição financeira escolhida, de maneira que uma conta em seu nome seja aberta e os investimentos se tornem possíveis.

4. Senha provisória para área restrita do site do Tesouro Nacional: Após o cadastro, você receberá uma senha da BM&FBBovespa. Essa senha dá acesso a sua conta e aos espaços privados no site do Tesouro Nacional. É por ela que a compra de títulos online se torna possível. Altere essa senha logo em seu primeiro acesso.

5. Compra de títulos: Após o recebimento da senha, já é possível adquirir o título mais adequado ao seu perfil. Caso não tenha certeza de qual é a melhor opção de investimento, é possível utilizar o Orientador Financeiro, uma ferramenta criada pelo Tesouro Nacional que auxilia a calcular os riscos e os investimentos desejados.

As compras podem ser realizadas de duas maneiras distintas: compra tradicional e compra agendada.

Na primeira modalidade, é possível adquirir ações em tempo real através do site do Tesouro Nacional, enquanto na segunda modalidade é possível agendar compras automáticas e quantidade de investimento desejado.

Caso não considere rentáveis as margens de lucro do Tesouro Direto, considere outras aplicações, como investir na Bolsa.

Gostou do artigo? Comente e compartilhe conosco as suas dúvidas e sugestões.


Comente o que achou