Dicas de como empreender na crise

Saiba o que considerar ao investir em períodos instáveis

empreender-crise.jpeg

Em períodos de crise econômica, é comum que o mercado se desacelere. Isso porque a população em geral tende a economizar e limitar os gastos ao consumo de necessidades básicas. Contudo, com as estratégias certas, empreender na crise pode ser um grande investimento.

O que é a crise?

A crise é todo e qualquer momento de instabilidade que demonstre certo perigo. Aplicado ao contexto mercadológico, as crises em geral são reflexo do enfraquecimento econômico em uma dada região. Isso faz com que as pessoas tenham menos lucro e, por consequência, poupe dinheiro, limitando novas aquisições e diminuindo o ritmo de produção e venda do mercado em geral.
Por isso, é importante entender a natureza de uma crise. Procurar entender quais setores ela toca e quais demandas ela cria. A Crise do petróleo do pós-guerra, por exemplo, afetou diversas áreas, sobretudo as áreas industriais que utilizavam o petróleo como combustível ou como componente de produtos. Mas a crise no ramo imobiliário não necessariamente afeta aqueles que já possuem lotes e casa própria, tampouco afeta o setor automobilístico.
Entender as causas da crise e quais setores e públicos ela afeta é essencial para compreender em quais setores ou soluções investir e em quais medidas. Se algo afeta o grande público, mas seu target são empresas ou públicos de alto poder aquisitivo, a crise pode não existir para seus negócios.

Como empreender na crise

A crise, afetando ou não seu setor de atuação, deve ser vista com cuidado, de maneira que estratégias sejam traçadas para que a saúde financeira de sua marca seja mantida ou ampliada, bem como a força de seu nome no mercado. Confira algumas dicas de como agir em tempos de crise.
shutterstock_346910975

Atenda as demandas criadas pela crise

Observe os setores afetados pela crise e quais são os públicos afetados por ela. Entenda quais as necessidades que surgem desse cenário e tente oferecer soluções baratas que atendam tais demandas.
Diante da crise do petróleo, por exemplo, fez-se necessário buscar outras formas de combustível para veículos, o que beneficiou o posicionamento de carros elétricos. É esse tipo de ótica e inovação que devem existir durante a crise.
Mesmo que o público afetado pela crise não seja o seu público alvo, oferecer soluções econômicas para as infelicidades da crise ajuda a movimentar o fluxo do mercado, alcança novos públicos e ainda posiciona o nome de sua marca, podendo até eternizá-la na história da economia mundial.
Ainda, há certas áreas que não são freadas pela crise, são aquelas que atendem as necessidades básicas, como higiene e alimentação. Apostar nessas demandas oferecerá menos riscos aos seus negócios. Para pensar soluções para esses cenários, utilizar a planilha 5W2H [INSERIR #0703] e estratégias de benchmarking [INSERIR #0503] são fundamentais.

Invista hoje, destaque-se amanhã

Se houver fundos suficientes e um bom planejamento, ouse investir em áreas ainda não exploradas ou investir mais amplamente em áreas carentes de investimento por conta da crise. Isso ajudará a preparar um terreno que poderá ser explorado e dar muito retorno no pós-crise.
Esse tipo de estratégias funciona como um trabalho de marketing digital, em que uma página começa a ser trabalhada com antecedência, de maneira que ela ganhe força paulatinamente e tenha, futuramente, a autoridade necessária para ser encontrada na primeira página de motores de pesquisa.
A compra de imóveis em períodos de crise, por exemplo, pode oferecer generosos retornos no pós-crise. Por se tratar de um investimento de risco ou de lucro a longo prazo, esteja atento para não investir fundos que não devem ser comprometidos para a saúde financeira de seus negócios.

Este artigo te ajudou? Comente e compartilhe conosco suas dúvidas e opiniões.


Comente o que achou